Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘tibete’

Ficheiro:Nepal map.png

Nepal

O Nepal é um pequeno país localizado no sul da Ásia, entre a Índia e a China (Tibete). O seu tamanho contrasta com uma superpopulação estimada entre 22 e 23 milhões de habitantes, tem uma das maiores densidade demográficas do continente, com 153 habitantes por quilômetro quadrado. O país é costeado pelas altas montanhas do Himalaia, com vários picos de mais de 6000 metros de altitude, destacando-se entre estes o Monte Everest, o ponto mais alto da Terra, com 8 848 m, na fronteira norte com o Tibete (China). O Nepal é conhecido como “o teto do mundo”. A população nepalesa é composta de 12 etnias, que convivem harmoniosamente. É um país sem costa marítima. A capital Katmandu tem aproximadamente 800 mil habitantes. O país divide-se em 14 estados e 75 distritos. A maior parte da população vive em vilas nas montanhas, que são demarcadas por regiões e números. O clima é frio, porém somente nas montanhas há incidência de neve.

O Nepal conta com uma das maiores diversidades de flora do planeta. A presença de grandes altitudes, o clima e o solo da região dentro de uma pequena extensão gerou esta diversidade. É estimada a existência de aproximadamente 7000 espécies de flores de plantas no Nepal e aproximadamente 5% delas não nascem em outras regiões do mundo.

Reza a  lenda  que o vale de Catmandu foi nas suas origens um belo lago no qual flutuava a  flor de lótus da qual emanava uma mágica luz. O patriarca chinês Manjushri decidiu, ante tanta beleza, drenar a água do lago para que a flor pousasse no solo e utilizou sua espada para cortar a parede que fechava o vale e permitir que a água saísse. No lugar que o lótus pousou, o patriarca construiu um templo, a estupa de Swayambhunath e uma pequena aldeia de madeira denominada Manjupatan. Se desconhece se esta lenda contém alguma verdade. Mas o certo é que os geólogos comprovaram que o vale já foi coberto de água.

O Nepal pode ser dividido em três regiões geográficas distintas: o Terai ao sul, com altitudes entre 400 e 1000 metros, geográfica e culturalmente semelhante à Índia; a região dos Vales, com altitudes entre 1 000 e 2 000 metros, onde está Katmandu e Pokhara; e a região do Himalaia, com altitudes superiores a 2 000 metros.

As principais cidades desta nação são, além da capital, a cidade-lago de Pokhara e Lumbini, onde nasceu Sidarta Gautama, conhecido como o Buda. Têm grande importância para o turismo, sendo reconhecidas pela UNESCO devido ao valor histórico .

A agricultura emprega 90% da mão-de-obra, tornando o país grande fornecedor de arroz para a região.

Outrora uma monarquia (absoluta na maior parte da história), o Nepal tornou-se uma república parlamentarista em 2008, após um acordo entre os partidos políticos e as facções guerrilheiras rebeldes, tendo como pano de fundo a crescente insatisfação popular com o autoritarismo do último rei, Gyanendra.

Dizem que as coisas estão melhorando por aqui. Antes o País era monarquia. O rei foi afastado por corrupção e assassinato do irmão e cunhada. Hoje é uma “democracia”. O presidente atual é do partido do Mao (na época do rei eram terroristas super procurados) e o primeiro ministro é da oposição. Depois explico a historia do Rei. Sei que hoje ele está sendo julgado e se for declarado inocente, retorna ao poder. No palácio e museus ainda tem a guarda do rei que aguardam sua volta.

A cidade de Katmandu

 O centro é muito charmoso e bem diferente de tudo que conheci

. Cada Templo de tirar o fôlego.

As fotos abaixo tentam representar  o que estou querendo dizer

  Em 1990 o rei dissolve a Assembleia e se forma um novo governo com K.P. Bhattaral como primeiro-ministro. O monarca apresenta uma nova constituição na que se estabelece a democracia multipartidarista.

Em 15 de Janeiro de 2007 entrou em vigor uma constituição provisória que preparará a realização de eleições para uma Assembleia Constituinte. De acordo com a nova constituição o rei está destituído dos seus poderes.

Em 24 de dezembro de 2007, os partidos políticos do país, incluindo os governistas e os poderosos ex-rebeldes maoistas, colocaram-se de acordo para abolir a monarquia a partir do primeiro semestre de 2008, com a nova constituição.

 

O famoso posto de Naamche Bazar Khumbu, na região próxima ao Monte Everest. A cidade é construída em uma plataforma que lembra um gigantesco anfiteatro grego.

Os nepaleses são descendentes de três grandes migrações da Índia, Tibete, norte da Birmânia e Yunnan, através de Assam.

Katmandu, com uma população de cerca de 800 000 habitantes (região metropolitana: 1,5 milhões), é a maior cidade do país. A maior religião é o Hinduísmo, com mais de 80% da população a seguir esta religião.

O Nepal é um país multilingue, multirreligioso e a sociedade é multiétnica.

Templo em Patan.

O executivo compreendia o rei e o conselho dos ministros (o gabinete). O líder da aliança ou do partido que obtivesse a maioria dos lugares em uma eleição era nomeado como o ministro principal. O gabinete era nomeado pelo rei por recomendação do ministro principal. Os governos do Nepal tendiam a ser altamente instáveis; nenhum governo sobreviveu por mais de dois anos desde 1991, por colapso interno, dissolução parlamentar, pelo monarca ou por recomendação do ministro principal de acordo com a constituição.

O movimento em abril de 2006 trouxe uma mudança na naçãm governo que manteve conversações da paz bem sucedidas com os rebeldes maoio. O rei autocrático foi forçado a deixar o poder. A câmara de representantes dissolvida foi restaurada. A câmara de representantes deu forma a ustas. Uma constituição interina foi promulgada e criada uma câmara de representantes interina com membros maoístas. O número dos assentos foi aumentado para 330. O processo da paz em Nepal deu um grande passo adiante em abril 2007, quando o Partido Comunista do Nepal (Maoista)se juntou ao governo provisório do Nepal.

Depois do acordo de 23 de Dezembro de 2007, foi estabelecida a república em 2008; uma maioria simples do conjunto constituinte, a ser eleita em 2008, votou pela abolição da monarquia.

A assembleia constituinte do Nepal decidiu abolir a 25 de Maio de 2008 a única monarquia hinduísta do mundo e fazer nascer a mais nova república, depois dos rebeldes maoistas terem vencido as eleições de 10 de Abril de 2008.Economia

O Nepal é uma nação pobre, com uma economia baseada na agricultura e no turismo. Cerca de 90% dos habitantes trabalham na agricultura, principalmente no cultivo de arroz.

A influência indiana, cada vez mais forte, em pouco tempo originou uma sociedade de castas fortemente indianizada e poderoso centro budista.

O turismo cresce desde que a democracia foi restaurada, em 1990, ajudado pela abolição das restrições a estrangeiros em 18 áreas, a noroeste do país. Lumbini – a terra natal de Buda – e a cidade-lago de Pokhara estão entre as principais atrações.

 

Meninas hinduístas vestidas com roupas típicas durante celebração religiosa. As meninas mais ao alto estão representando os deuses Vixnu e Lakshmi e as duas mais abaixo os deuses Krishna e Radha.

A cultura nepalesa é muito variada, refletindo as diferentes origens étnicas de seu povo. Como cerca de 80% da população é hinduísta, a cultura nepalesa tem muitos costumes, crenças e tradições hindus. Entretanto a influência do budismo, que abrange cerca de 10% da população, é grande. As duas religiões coexistem e ritos hinduístas e budistas que acompanham o nascimento, o casamento e a morte são praticados conjuntamente.

O folclore é uma parte integrante da sociedade nepalesa. Contos folclóricos estão enraizados na realidade do dia-a-dia. Contos de amor e de batalhas, bem como demônios e fantasmas, refletem o estilo de vida local, bem como suas culturas e crenças. Muitos contos folclóricos nepaleses são contados mediante a integração de dança e música.

O ano nepalense começa em meados de abril e está dividido em 12 meses. Sábado é um dia oficial de descanso.

Culinária

Culinária tradicional.

AGUARDEM o próximo post : BUTÃO

Read Full Post »